Animal Crossing é uma bela fuga da realidade

Animal Crossing New Horizons

Mesmo que você não tenha costume de acompanhar o noticiário, é provável que esteja sendo bombardeado nos últimos dias com incertezas sobre o futuro e insegurança. Em tempos de pandemia, é difícil encarar a vida de maneira leve e pensar no futuro como algo seguro. A incerteza é grande, e voltar a fazer coisas simples, como ir ao cinema, parece algo que não tem prazo para voltar.

Animal Crossing New Horizons

Em uma feliz coincidência, esses tempos de incerteza encontram alguns consolos. Para mim, o principal tem sido um jogo que não necessariamente estava no topo das minhas expectativas para 2020. Porém, desde que ele foi lançado, consegue ao menos uma hora de minha atenção diária: Animal Crossing: New Horizons.

Animal Crossing preza pelo ritmo Zen

New Horizons é um game gigantesco para o Switch, mas que em nenhum momento se enquadra no que conhecemos como “Triplo As” tradicionais. Não há grande missão (a não ser que você seja realmente hardcore sobre decorar sua casa) nem um senso de urgência. Seu objetivo é simplesmente viver a experiência de se isolar em uma ilha remota, tendo como vizinhos um conjunto de animais muito simpático.

Animal Crossing está mais para um The Sims em que ninguém morre (não fui eu que tirei as escadas da piscina, juro!) do que para uma experiência recheada de ação e movimento. Enquanto isso fez com que logo eu largasse minha primeira experiência com a série (New Leaf, do 3DS), nos tempos atuais esse clima de “tome seu tempo, faça o que quiser” tem sido quase uma terapia.

Animal Crossing New Horizons

O que poderia considerar defeitos em outros tempos, aqui são elementos que me ajudam a me distanciar da realidade e lidar com a ansiedade. Sei que não vou ter grandes surpresas ao ligar o jogo e que, quando elas acontecerem, serão positivas. A caixa de correio nunca vai me trazer contas: só presentes com mensagens de apoio de uma mãe virtual ou dos amigos que fiz na ilha.

Da mesma forma, posso traçar objetivos simples e alcançáveis que, se não forem realizados, não me trazem problemas. Não consegui colher todas as maçãs hoje? Tudo bem, amanhã elas estarão me esperando. Minhas coleções de fósseis, insetos e peixes também podem crescer em um ritmo lento, sem problemas. Embora há dias eu não pegue um peixe, nunca há a pressão para que eu volte a fazer isso como forma de cumprir algum objetivo.

Leveza necessária

Até mesmo os objetivos que são considerados grandes dentro do game são tratados com a mesma leveza. Sei que, no fundo, estou tentando esconder uma relação bem clara de Síndrome de Estocolmo com Tom Nook, mas dá até prazer contrair dívidas milionárias para expandir minha casa com ele.

Animal Crossing New Horizons

Toda vez ele me trata de forma cordial e com um sorrisão, e nem sequer me cobra juros. Eu sei que vou demorar alguns meses para terminar de pagar pelo meu porão virtual, mas tudo bem: ao menos eu sei que Nook não vai surgir com taxas misteriosas como as que tenho que lidar com meu aluguel real. Em Animal Crossing, até mesmo ser cobrado de forma abusiva tem seu charme e leveza.

Embora jogue de maneira relaxada, sei que a experiência em Animal Crossing: New Horizons pode ser muito mais intensa. Basta procurar pelo jogo no Twitter para ver gente que construiu verdadeiros resorts pavimentados com iluminação profissional jogando de forma hardcore. Na minha ilha, as casas brigam por espaço com as árvores e alguns objetos. Enquanto gostaria de ser mais organizado, acho que há todo um charme rústico nisso tudo que eu temo em eliminar.

Fuja para uma ilha deserta

O elemento que torna o game tão bom em um momento de incertezas é justamente esse: ele se adapta a seu tempo e não cobra um grande comprometimento para ser aproveitado. A não ser, claro, acordar cedo no domingo pra comprar turnips e aumentar minhas economias. Enquanto isso pode ser incômodo para alguns, é um preço baixo para enriquecer com certa facilidade.

Em um momento em que a realidade obriga o cérebro a trabalhar demais e não ter tempo para descansar, ter uma experiência de tão baixo impacto disponível é essencial. E, com as perspectivas do que vem por aí, vejo que esse será facilmente o game de Switch que mais jogarei em 2020.