Início » Notícias » CEO da Bungie comenta polêmica de Jim Ryan sobre aborto

CEO da Bungie comenta polêmica de Jim Ryan sobre aborto

E-mail de Jim Ryan sobre a polêmica do aborto nos EUA continua dando o que falar

Uma das primeiras companhias a se manifestar em defesa do aborto, a Bungie falou sobre a polêmica do e-mail de Jim Ryan, CEO da Sony, que pedia para que seus funcionários respeitassem as diferentes opiniões sobre o assunto. A empresa assegurou que não vai deixar de lado a política, pois interfere com a vida dos funcionários – e consequentemente, tem relação com toda a companhia. De acordo com recentes rumores, a PlayStation não vai permitir que seus estúdios se manifestem publicamente sobre assuntos polêmicos, a Bungie afirmou que “não será amordaçada” após a compra da Sony e que continuará a usar sua voz para se manifestar em defesa dos valores nos quais acreditam. O próprio Pete Parsons, CEO da companhia, confirmou a informação em seu Twitter.

 

“Admito, sou apenas um gestor da comunidade no esquema geral, mas tenho confiança no seguinte: Somos e continuaremos a ser, a Bungie,” disse o gestor de comunidade. “Nunca haverá uma mordaça grande o suficiente para nos parar de defender o que está certo”. Parsons reagiu a esta mensagem dizendo apenas que “sim”.

Gafe de Jim Ryan

Há alguns dias, saiu uma notícia aqui no Clube do Videogame que Jim Ryan, CEO da Sony, enviou um e-mail aos seus funcionários pedindo respeito pelas diferentes opiniões sobre a questão o aborto – assunto que está em alta nos Estados Unidos após o Supremo Tribunal americano ameaçar derrubar a Roe versus Wade, caso judicial pelo qual o governo do país reconheceu o direito ao aborto. As palavras de Ryan desagradaram os funcionários – ainda mais porque ele passou mais tempo falando do aniversário de seus dois gatos e da sua vontade de ter um cachorro do que efetivamente falando sobre aborto, o que fez os trabalhadores da Sony se sentirem “desrespeitados ou banalizados” pelo e-mail.

Depois dessa gafe de Jim Ryan, a Insomniac vai doar 50 mil dólares à Women’s Reproductive Rights Assistance Project, uma organização sem fins lucrativos que “fornece assistência financeira urgentemente e necessária em todo o país para indivíduos que procuram serviços de aborto ou contracepção de emergência”.  A Sony igualará a doação da Insomniac e planeja uma iniciativa que visa fornecer assistência financeira àqueles que precisarem viajar para diferentes estados para receber cuidados reprodutivos.

O jornalista Nathan Grayson publicou em seu Twitter que a Insomniac também enviou um documento de quase 60 páginas para a PlayStation Studios com mensagens dos funcionários pedindo a Jim Ryan para “fazer melhor pelos funcionários que são diretamente afetados”.]

Bungie foi a primeira a se manifestar sobre direito ao aborto

Em seu site oficial, a Bungie foi a primeira a se manifestar sobre direito ao aborto. O estúdio afirmou ser contra a decisão do Supremo Tribunal americano e disse que a proibição do aborto seria um duro golpe na liberdade nos Estados Unidos da América e nos direitos humanos.

“Na Bungie, acreditamos que todos têm o direito de escolher o seu próprio caminho e que a liberdade é expressa em todas as facetas da vida… A Bungie está comprometida em proteger a liberdade e a privacidade dos seus funcionários e fornecer suporte a todos os funcionários afetados por esta decisão”, disse a empresa em comunicado. “Defender a escolha reprodutiva e a liberdade não é uma decisão difícil de tomar, e a Bungie continua dedicada em defender esses valores”.

Compartilhe

Letícia Höfke

Letícia Höfke

Sou jornalista, escritora e completamente apaixonada por tudo que envolve o universo geek - principalmente, o Batman.

Veja também

Pac-Man World: remake é anunciado
Notícias
Marcela Luciana

Pac-Man World: remake é anunciado

A Nitendo anunciou nessa terça-feira (28) um remake do famoso Pac- Man World. E ainda mostraram um mini trailer totalmente inédito durante a Nintendo Direct.

Continue lendo