O CEO da Take-Two não quer novos jogos no GamePass

O CEO da Take-Two, Strauss Zelnick, respondeu mais uma vez à situação financeira em torno de serviços de assinatura como o Game Pass. Ele mantém a mesma opinião de sempre de que os serviços de assinatura dão sentido aos jogos de catálogo, mas não aos novos.

“Nossos pontos de vista permanecem inalterados. Acreditamos que um modelo de assinatura pode fazer sentido para títulos de catálogos profundos. Mas realmente não faz sentido para títulos de primeira linha. Para qualquer modelo de negócios fazer sentido no setor de entretenimento, ele tem que funcionar para os criadores do entretenimento, assim como os consumidores do entretenimento. Acho que o catálogo pode fazer sentido para os editores, pode fazer sentido para os consumidores ávidos, que realmente querem ter acesso a muitos produtos. Mas se você está entrando no produto da linha de frente, então a economia é muito mais difícil de entender “, disse ele durante a teleconferência da Take-Two.

Segundo Zelnick, os padrões de consumo de um serviço de streaming como a Netflix são diferentes do entretenimento interativo. 

“Os consumidores que estão envolvidos com entretenimento interativo têm padrões de consumo diferentes daqueles envolvidos com entretenimento linear. Os consumidores de entretenimento linear consomem algo como 150 horas de programação por mês. Isso provavelmente é bem mais de 100 títulos diferentes. No caso do entretenimento interativo, os consumidores estão consumindo algo como 45 horas por mês, e isso pode ser um, dois, três, quatro títulos. Mas certamente não são 100 títulos. Do ponto de vista do consumidor, não está claro se um modelo de assinatura realmente faz sentido, para a maior parte consumidores “, disse ele.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter

Veja também