The Game Awards 2020 | Confira informações sobre os indicados

The Game Awards 2020

A principal premiação de universo de videogames, o The Game Awards, anunciou no dia 18 de novembro a lista de indicados para a edição deste ano do evento. Abaixo listamos os principais candidatos deste ano. Alguns games, como The Last of Us Part II, receberam muito destaque, chegando a dez indicações. Confira os principais indicados do The Game Awards 2020 que irá acontecer no dia 10 de dezembro.

The Last of Us Part II

A continuação aclamada do game de 2013 originalmente lançado para PlayStation 3 finalmente foi lançada em 2020, sendo aclamado não só pela sua narrativa, mas também pela parte técnica, sendo verdadeiramente uns dos jogos mais bonitos do PlayStation 4. Essa qualidade foi reconhecida e por isso The Last of Us: Part II conta com incríveis dez indicações, incluindo Jogo do Ano. Não deixe de conferir a nossa análise sobre o game.

Final Fantasy VII Remake

Um dos jogos mais aguardados dos últimos anos, o remake do clássico de 1997 finalmente chegou às lojas esse ano, sendo muito bem recebido pela crítica. O destaque foi dado principalmente a forma atualizada de contar a mesma história (ainda que não completa) do game de PlayStation 1. A sua jogabilidade e trilha sonora o fizeram ser reconhecido como um verdadeiro representante moderno dos JRPGS, gênero esse que estava em baixa recentemente, recebendo jogos de pouca expressão ou de baixo orçamento.

Com seis indicações, FFVII Remake também concorre a Jogo do Ano.

Doom Eternal

Sequência do reboot da série clássica criada por John Romero e John Carmack, Doom Eternal expande o que já foi magistralmente recriado nas mãos da id Software, trazendo o combate rápido e trilha sonora excitante para os consoles e PCs modernos. Em Doom Eternal, a empresa apenas melhorou o que já havia sido apresentado no game de 2016, agilizando o combate e criando mudanças gerais de gameplay que resolveram pequenos problemas no jogo anterior.

Indicado em quatro categorias, incluindo Jogo do Ano, Doom Eternal entra como favorito entre os fãs de jogos de ação.

Ghost of Tsushima

Após anos trabalhando na série Infamous, a Sucker Punch resolveu investir numa mudança de ares. Em Ghost of Tsushima, temos um game de mundo aberto com foco em furtividade, situado no Japão durante a primeira invasão mongol ao país, no início do século XIII. O desafio para a empresa foi enorme. Além de começar uma nova IP, eles também resolveram entrar num terreno perigoso, que é de contar uma história situada em um país com cultura diferente.

As chances de dar errado eram grandes, mas o empenho da Sucker Punch foi recompensado: aclamado pela crítica e até pela mídia japonesa em geral, Ghost of Tsushima recebeu diversas indicações esse ano, e pode ser votado para Jogo do Ano junto com os já citados acima. A análise do game você confere aqui.

Hades

Talvez a verdadeira surpresa entre os indicados, Hades é o representante independente entre os candidatos a Jogo do Ano. Criado pela Supergiant Games, que nos trouxe sucessos indies do passado como Bastion e Transistor, temos aqui um game que segue os passos de Diablo. A jogabilidade por sua vez é mais centralizada, porém seus menus e fluidez de gameplay ainda remetem ao jogo clássico do gênero ARPG.

Seu destaque vai para o estilo de arte feito a mão e pelas escolhas de design fora do comum para os deuses e criaturas mitológicas gregas, que fogem do que é visto em God of War, por exemplo. A indicação de um game independente (ou de menor orçamento) para Jogo do Ano não é novidade, visto que já tivemos isso em anos anteriores.

Porém, Hades ainda vem como forte candidato e sua presença — ainda que não vença — é importante para mostrar que jogos que não são de grandes empresas têm o mesmo valor e precisam ser apreciados e avaliados da mesma forma.

Animal Crossing: New Horizons

Grande febre nos Estados Unidos e Japão no início do ano, o game da Nintendo foi lançado numa hora muito propícia, pois o início da pandemia do Coronavírus fez com que as pessoas tivessem que encontrar um hobby para se dedicarem em suas casas.

Com isso, Animal Crossing pegou com força pessoas de todas as idades. Crianças e adultos se dedicaram a cuidar de sua vila dentro do jogo, e as interações online e constantes atualizações que duram até hoje (e não têm previsão de acabar) tornaram esse o game de mais sucesso da série, vendendo mais que os aclamados Mario Odyssey e Zelda: Breath of the Wild.

Esse é o indicado da Nintendo para este ano, que sempre consegue fazer um hit, mesmo que recentemente seus jogos tenham demorado um pouco mais para serem lançados.

Fall Guys: Ultimate Knockout

Febre de uns meses atrás, Fall Guys recebeu algumas indicações este ano, incluindo de Melhor Jogo Independente e Melhor Multiplayer.

Seu suporte nas redes sociais é contínuo, e mesmo que a febre inicial do game tenha passado, seus fãs ainda o jogam com entusiasmo, principalmente com as contantes atualizações.

Half-Life: Alyx

Ainda que não seja o esperado Episódio 3 de Half-Life 2 (ou mesmo uma sequência verdadeira), o mais recente jogo da Valve foi uma grata surpresa.

Ainda que só possa ser apreciado em VR, a aventura solo de Alyx trouxe uma narrativa densa, difícil de se ver em jogos que fazem uso de realidade virtual, principalmente porque esses jogos, em sua maioria, são bem mais experimentais.

A Valve por ter experiência no mercado, conseguiu criar algo bem consolidado, e por isso teve indicações esse ano, como a de Melhor Direção e Melhor Design de Áudio.

Ori and the Will of the Wisps

Continuação de Ori and the Blind Forest, temos um game no já bastante utilizado estilo metroidvania.

Diferentemente do primeiro game, agora temos saves automáticos, além de uma progressão de upgrades menos linear. Sendo assim, Ori 2 pode ser considerado uma melhoria natural e esperada do primeiro título.

Ainda que possa parecer um jogo indie, o game tem suporte do Xbox Game Studios. Assim, temos uma categoria nova de jogo, conhecida como III (ou “triple I”), que é um meio-termo entre indies e jogos AAA.

Desenvolvido pela Moon Studios, o game foi financiado pela Microsoft, mas também foi lançado para Nintendo Switch, num esforço da empresa de fazer com que seus jogos atinjam públicos mesmo em plataformas que não sejam as suas.

Por suas qualidades, Ori and the Will of the Wisps recebeu três indicações: Melhor Jogo de Ação/Aventura, Melhor Trilha Sonora e Melhor Jogo de Ação.

Essa vai ser uma disputa acirrada, pois ele está concorrendo em todas essas categorias com gigantes da indústria, mas só sua presença em tantas indicações já mostra seu gigantesco valor e que merece ser jogado, assim como o game anterior da série.

E aí, qual a sua aposta no The Game Awards 2020? Conte pra gente!