Início » eSports » Rainbow 6 » “Temos muitas chances ainda de ir para Elite Six”, diz PpWs, da INTZ, em entrevista exclusiva
Entrevista exclsuiva com PpWs da INTZ

“Temos muitas chances ainda de ir para Elite Six”, diz PpWs, da INTZ, em entrevista exclusiva

As equipes brasileiras de Rainbow Six Siege estão tomadas de jovens jogadores promissores. Nesse sentido, o primeiro turno do Campeonato Brasileiro aponta isso, com destaque para times formados quase totalmente por “garotos” abaixo dos 20 anos, como a Team One, FURIA e W7M, todos presentes no último Major disputado nos Estados Unidos. A INTZ, uma das organizações que disputam o BR6, também aposta em players mais jovens. Um dos destaques é Pedro “PpWs” Sabino, jogador dos Intrépidos que concedeu entrevista exclusiva ao Clube do Vídeo Game.

Período no “Tier 2” do Rainbow Six Siege

PpWs fez parte de um dos times mais comentados da segunda divisão do R6: o Kids Team. Dessa forma, a line era composta apenas por promessas do cenário brasileiro, que no fim tornaram-se profissionais. São eles Diogo “Fntzy” Lima e Thiago “Handyy” Ferreira, hoje na FURIA, Pablo “resetz” Oliveira, da Team Liquid, e Felipe “nade” Ferreira, que chegou nesse ano na Black Dragons. Pedro diz que esse período foi essencial para se preparar para a elite do Rainbow Six nacional.

Foi muito importante começar jogando esses campeonatos para ir ganhando experiência e chegar mais preparado para série A. Até porque na série B, como nós éramos um dos melhores times, a gente conseguia vários treinos contra tier 1, assim conseguimos aprender bem o jogo“, afirmou.

Outra organização de PpWs no tier 2 foi a SuperNova Team, que em 2021 venceu a Série B do R6 e disputou a relegation contra o Santos e-Sports em busca de uma vaga na primeira divisão. Entretanto, acabaram derrotados por 3 a 2 em uma partida emocionante.  “Foi um sentimento muito ruim na hora. Conseguimos buscar o jogo mas acordamos muito tarde, nosso time acabou sentindo um pouco a pressão naquela série e não tínhamos conseguido desempenhar bem“, desabafou Pedro.

Chegada na INTZ, adaptação ao BR6 e expectativas de PpWs

O jovem Pedro chegou na INTZ em 2022 para substituir Vinicius “Vnx” Mello, um dos destaques do time nos últimos anos. Apesar dessa pressão, PpWs diz que a adaptação foi tranquila e os jogadores o deixaram a vontade. Mas, ao comparar a elite do R6 com o Tier 2, o jogador sentiu diferença. “Parece que o jogo é bem mais estudado e você é punido em qualquer erro“, apontou.

Inicialmente, o primeiro turno dos Intrépidos no BR6 foi de frustração. A INTZ ficou em oitavo com seis derrotas e apenas três vitórias. Na Copa do Brasil acabaram eliminados ainda nas quartas de final. Porém, em sua temporada de estreia, PpWs acabou sendo um dos destaques do time. Foram 93 eliminações em 9 mapas, o que resultou em 0.83 kill por rodada, melhor desempenho de sua equipe segundo o site SiegeGG. Ainda de acordo com o portal especializado, o jovem teve 1.03 de rating, ótimo número em uma estatística que reune nove métricas para medir o desempenho.

O BR6 retornou no último final de semana para a disputa do segundo turno. E, da mesma forma que no primeiro, a INTZ estreou com duas derrotas em sequência: 7 a 4 Black Dragons e 7 x 5 Team One. PpWs afirmou que contra a BD faltou sincronia no ataque. Já a derrota para a T1 foi por conta de dificuldades em fechar as rodadas com vantagem númerica. Mas, mesmo com o ínicio negativo, o jovem não perde sua esperança e coloca um objetivo no horizonte. “O split tá (sic) só começando, temos muitas chances ainda de ir para Elite Six, mas temos que ralar mais ainda“, concluiu.

Foto Destaque: Reprodução/Redes sociais

Compartilhe

Carlos Vinicius

Carlos Vinicius

Carlos Vinicius, 23 anos, jornalista formado pela Universidade Paulista. Apaixonado por futebol, o que levou ao caminho dos games e também da comunicação. Sempre se informando e informando aos outros, buscando referências e fontes, como o jornalismo manda.

Veja também