Bully: 6 fatos sobre o jogo

Bully: 6 fatos sobre o jogo

Bully foi um dos maiores sucessos de todos os tempos quando se trata de games clássicos. O projeto da Rockstar marcou mais de uma geração, principalmente pela sua qualidade técnica para época em que foi lançado e pela proposta do jogo em si, que além de ser interessante, consegue criar uma imersão forte à partir do design de produção e da jogabilidade. Com tantas qualidades, seria difícil que Bully também não recebesse boas reviews dos jornalistas especializados. No Metacritic, o título conta com uma nota 87  na média das avaliações dos críticos. Já na opinião do público, a nota é ainda mais alta, como era de se esperar, ficando com 8.8 de média. Já nas vendas, o título também não decepcionou, tendo vendido cerca de 1,5 milhões de cópias pelo mundo, pelo menos nas vendas oficiais, sem contar cópias piratas.

O conceito de Bully é relativamente simples, mas muito interessante e diferente de muitos títulos lançados na época. No game, o jogador incorpora a pele de James “Jimmy” Hopkins, um adolescente problemático que, após fazer parte de diversas confusões anteriormente, é matriculado no Bullworth Academy,  um colégio interno com regras rígidas e e um sistema interno de hierarquia entre seus alunos que não necessariamente irá favorecer o protagonista. O objetivo é sobreviver na realidade de um sistema educacional não tão amigável e enfrentar tanto alguns alunos e professores da instituição. Com esse conceito, é natural que diversas histórias, elementos e curiosidades estejam espalhadas pela história e produção do jogo. Para matar a saudades de Bully, separamos alguns fatos que muitos podem não saber sobre o game.

 

O protagonista de Bully

Bully Protagonista

Bully tem um dos protagonistas mais marcantes da geração em que foi lançado. Dublado por Gerry Rosenthal, Jimmy Hopkins é um adolescente de 15 anos que, apesar de ser mais baixo que a maioria dos outros alunos, é mais robusto e usa isso a seu favor para intimidar os estudantes que quiserem intimidá-lo. Ele foi colocado na Bullworth Academy por sua mãe e por seu novo padrasto, descrito pelo personagem como um “velho rico falso”. O grande problema de Jimmy é que o colégio interno é sua última esperança de não ir parar na detenção juvenil, já que ele foi expulso das últimas 7 escolas que frequentou por diversos motivos, desde má conduta, violência e até um possível incêndio criminoso. Os desenvolvedores do game relataram que basearam a personalidade do protagonista em Holden Caulfield, personagem principal de O Apanhador do Campo de Centeio, um dos maiores clássicos da literatura americana.

 

O vilão da história

Bully Gary Smith

Outro elemento muito marcante em Bully é seu vilão. Um colégio interno não parece um ambiente para criar um vilão tão sádico, afinal de contas, é um ambiente cercado por adolescentes que são vigiados constantemente. Ainda assim, o jogo da Rockstar consegue criar um antagonista marcante e que oferece muita ameaça a Jimmy e outros estudantes da Bullworth Academy. Gary Smith é dublado por Peter Vack e é o principal responsável por atrapalhar a vida do jogador no game. Sendo mais alto e esguio que Jimmy, ele tem uma personalidade mais cruel que a do delinquente juvenil, sendo mal visto por outros alunos e funcionários do internato e sendo descrito como um sociopata e um narcisista que gosta de torturar outras pessoas. Seu principal sonho é dominar a instituição em que estuda.

Bully também tem códigos

Os maiores fãs da saga Grand Thief Auto, a maior da Rockstar, devem estar familiarizados com os conceitos dos códigos feitos no controle para conseguir algumas vantagens ou fazer modificações rápidas nos games. Esses códigos são ativados através de uma série de comandos feitos pelo jogador após apertar alguns botões e fazer determinados movimentos nos joysticks em ordem, o que faz com que o efeito seja ativado e mude o game por determinado período. Muitos podem não saber, mas embora isso seja uma marca da desenvolvedora no GTA, outros títulos da empresa também possuem essa peculiaridade e, entre eles, está Bully. Quem joga através dos consoles da Sony, como PlayStation 2, PlayStation 3 ou PlayStation 4, pode utilizar os códigos. Para quem está curioso, separamos uma lista com todos eles:

 

  1. Desbloqueie todos os golpes de agarramento – Segure L1 e pressione cima, esquerda, baixo, baixo, triângulo, quadrado, X e X.
  2. Ganhe munição infinita – Segure o L1 e pressione cima, baixo, cima e baixo.
  3. Desbloqueie todas as armas – Segure L1 e pressione cima, cima, cima e cima.
  4. Ganhe dinheiro extra – Segure L1 e pressione triângulo, quadrado, círculo e X.
  5. Ganhe vida extra – Segure L1 e pressione R2, R2 e R2.
  6. Desbloqueie todos os golpes de luta – Segure L1 e pressione cima, esquerda, baixo, direita, triângulo, quadrado, X e círculo.
  7. Ganhe munição extra – Segure L1 e pressione cima e cima.
  8. Desbloqueie todas as roupas – Pressione L1, L1, R1, L1, L1, L1, R1 e R1.
  9. Imortal no minigame de queimada (dodgeball) – Quando os adversários tiverem a posse da bola durante uma partida, pressione L2 para abrir a tela de ajuda. Fazendo isso, os jogadores da sua equipe não sofrerão dano, mesmo caso tenham sido atingidos pelos outros jogadores.

Bully tem personagens LGBTQIA+

Esse pode ser um fato conhecido de muitas pessoas, principalmente daqueles que jogaram o game por muito tempo, mas até os dias de hoje, quase 20 anos após o lançamento, muitas pessoas não sabem que Bully tem personagens LGBTQIA+, inclusive seu próprio protagonista. Durante a jogatina, é possível tentar criar relações afetivas com alguns alunos da Bullworth Academy, com as opções de parceiros sendo tanto homens quanto mulheres. Desta forma, Jimmy Hopkins pode se relacionar com pessoas do seu mesmo sexo, o que o torna um personagem bissexual ou panssexual. Como era de se esperar, isso gerou polemica entre uma parcela do público que não aceitou a inclusão em Bully e realizou protestos contra o que foi apresentado, gerando até mesmo problemas legais para Rockstar, inclusive no Brasil.

Em 2008, dois anos após o lançamento oficial de Bully e quando o game ainda fazia muito sucesso no Brasil, o Ministério Público do Rio Grande do Sul decidiu proibir a venda do título. Ao que tudo indica, a inclusão de personagens LGBTQIA+ foi um dos fatores para retir o jogo de circulção, ainda que, de acordo com a sentença, esse elemento não apareça como um fator explicito. De acordo com o que foi divulgado pelo estado na época, Bully foi banido por apresentar “fundamentalmente, situações ditadas pela violência, provocação, corrupção, humilhação e professores inescrupulosos, nocivo à formação de crianças e adolescentes e ao público em geral”. Discussões semelhantes também aconteceram por outros lugares no mundo, como o próprio Estados Unidos.

 

Outras polêmicas

Como era de se esperar, ter personagens LGBTQIA+ e um protagonista que faz parte da mesma comunidade gerou polêmica, mas não foi a única temática que rendeu discussões acaloradas sobre o game. A própria temática do jogo rendeu algumas discussões entre uma parte do público e associações relacionadas ao combate ao bullying e ao ambiente estudantil. Ainda que Jimmy possa combater as práticas na Bullworth Academy, o game ainda dá a liberdade para que o protagonista realize práticas não tão legais quanto outro alunos, como humilhar ou bater neles, além dos outros estudantes que tem atitudes desse tipo de forma explicita durante a jogatina. Diversas ONGs se pronunciaram contra o título, tendo inclusive indo até os escritórios da Rocsktar Games para protestar na época em que Bully foi lançado.

 

Bully pode ganhar um remake ou uma continuação?

Após alguns remakes de jogos antigos da Rockstar, como aconteceu com GTA 3, GTA Vice City e GTA San Andreas e até mesmo alguns remasters de outros títulos, muitos especularam sobre um possível retorno de Bully ao mundo dos video games. Em 2021,o jornalista SWEGTA, conhecido por ser um dos maiores insiders do mercado, realizando vazamentos de dentro dos estúdios, afirmou que os fãs do clássico poderiam esperar um surpresa sobre o game nos próximos dias, no entanto, os meses se passaram e nada foi revelado por parte do estúdio, embora não seja possível descartar uma possibilidade de remake ou remaster em um futuro próximo, após o lançamento de GTA 6, título o qual a empresa está focada no momento. Ainda assim, muitos fãs imaginaram como seria uma versão de Bully feita com a tecnologia atual e postaram suas criações no YouTube.

Ainda assim, com o enorme sucesso que o jogo fez quando foi lançado, seria natural que uma continuação fosse pelo menos, considerada por parte da Rockstar durante os anos, nem que fosse décadas após o título original. Muitos fãs podem não saber, mas Bully 2 chegou muito perto de chegar as prateleiras para que os jogadores pudessem testar a sequência, mas o projeto deixou de acontecer em 2010, quando a desenvolvedora resolveu focar mais na proudção de outros jogos, como Red Dead Redemption e Max Payne 2, e cancelou a produção. Ainda assim, alguns dos envolvidos em Bully 2 chegaram a revelar algumas informações sobre o game. Com uma equipe que tinha entre 50 e 70 pessoas trabalhando, a grande ideia por trás do game era dar o máximo de liberdade possível ao jogador, com um mapa 3 vezes maior e qualquer prédio podendo ser acessado. Quando a ideia foi cancelada, o título já contava com cerca de 8 horas jogáveis, o que pode dar esperança para alguns fãs de que ela volte a sair do papel mais uma vez.