Outlast: entenda a linha do tempo da franquia

Outlast: entenda a linha do tempo da franquia

A franquia Outlast ganhou mais um capítulo. Dessa vez, o jogo tem um foco bem diferente dos títulos anteriores da franquia, o jogo é um multiplayer em que os jogadores podem se divertir e se assustar com os amigos ao invés de fazer isso apenas sozinhos. O lançamento marca os quase 10 anos da saga de terror que fez muito barulho na internet logo quando foi lançada. O primeiro jogo da série foi um marco para o mercado do survival horror, influenciando jogos independentes que viriam depois e até mesmo títulos de grandes estúdios.

O game foi um projeto relativamente pequeno que se revelou um sucesso não só de público e crítica, mas também financeiro. Outlast é da desenvolvedora independente Red Barrels Studio, uma empresa independente fundada em 2011, dois anos antes do lançamento de seu principal produto. A produção do jogo custou por volta de 1,36 milhões de dólares, um preço baixo comparado ao que viria a seguir. Em 2018, foi revelado que a série já havia vendido ao todo, 15 milhões de cópias e a produtora arrecadado mais de 64 milhões de dólares.

Para relembrar todos os capítulos dessa franquia, separamos todos os lançamentos que a Red Barrels Studio já fez. Cada capítulo conta uma história diferente, e explicamos o que cada uma delas fala sobre, desde o primeiro jogo até o último lançado esse ano, além das expansões que ajudam a aprofundar nos detalhes não contados durante a narrativa do jogo principal.

 

Cuidado: as informações abaixo podem ter pequenos spoilers sobre Outlast

 

Outlast

O primeiro jogo da franquia foi lançado em setembro de 2013, quase 10 anos atrás. Não demorou muito para que o game começasse a fazer sucesso na internet antes mesmo de seu lançamento, principalmente pelo seu estilo de gameplay e pela imersão, um fator que faz toda diferença para a experiência se tornar muito mais assustadora. O objetivo do jogo é “simples”: sobreviver sem nenhuma arma ou modo de se defender em um manicômio onde as coisas fugiram do controle e diversos pacientes insanos estão agindo de maneira violenta com qualquer um que veem pela frente.

A história de Outlast acompanha o jornalista investigativo Miles Upshur, que recebe uma mensagem misteriosa informando que o hospital psiquiátrico Mount Massive Asylum esconde segredos que precisam ser levados a público. Quando chega no local, Miles que algo muito errado está acontecendo. Vendo vários corpos mutilados e cenas grotescas, ele tenta fugir, mas logo percebe que está trancado e terá que sobreviver usando apenas usa câmera ao inferno que o local se tornou.

Enquanto passei pelo local, Miles descobre diversos documentos que revelam novas informações que compõe a história de Outlast, um estilo narrativo muito parecido com os de outros Survival Horrors, como a série Resident Evil. Durante a trama, é revelado que tudo que está acontecendo é culpa da Murkoff Corporation, uma empresa que secretamente realiza experimentos em humanos e criou um ser composto por nanorôbos chamado de Walrider. A trama mistura elementos não só de horror, mas também de conspiração e até memso ficção científica.

Outlast 1

Os personagens que Miles Upshur encontra por seu caminho também são um dos motivos que fizeram Outlast ser um sucesso tão grande. Os pacientes do local são chamados de variantes e enlouqueceram após serem expostos a uma tecnologia chamada motor morfogênico na esperança de se tornarem aptos a hospedar o Walrider. Entre eles estão o Padre Martin, uma variante que acredita ser o mensageiro de uma religião que louva o Walrider como seu deus, Chris Walker, um gigante que caça e decapita suas vítimas com as próprias mãos e quer fazer Miles se tornar mais um nome em sua lista de mortes.

Entre os principais destaques da gameplay de Outlast, estão a já mencionada câmera, que serve não só para registrar os acontecimentos do local, mas também para o jogador conseguir enxergar nos lugares mais escuros através da visão noturna. Para dificultar ainda mais a situação, o aparelho tem uma bateria que tem pouca duração, o que faz com que seja necessário encontrar baterias novas espalhadas pelo hospital psiquiátrico. Como não há nenhuma arma para se defender, correr e se esconder das variantes é a única opção de sobreviver e descobrir se Miles irá conseguir sobreviver e levar tudo o que descobriu a público.

 

The Whistleblower

Com tanto sucesso e uma história que deixa algumas pontas soltas, Outlast ganhou uma DLC. Chamada de Whistleblower, a expansão conta a história pela perspectiva de outro personagem: Waylon Park. Esse é um nome desconhecido para aqueles que jogaram apenas o jogo base, porém é alguém que teve uma interferência crucial para o andamento da história. Waylon é quem enviou o e-mail misterioso para Miles pedindo para que ele investigasse o que estava acontecendo de errado no Mount Massive Asylum, iniciando assim a história do game.

A DLC não conta apenas novos detalhes da história do personagem que chamou o protagonista de Outlast para o hospital psiquiátrico, como também mostra como toda a loucura que vemos durante o jogo principal. Como tudo se passa antes dos eventos vividos por Miles, temos a oportunidade de ver quem de fato foi o responsável pela rebelião do hospital psiquiátrico e como tudo fugiu do controle. A DLC ainda oferece a oportunidade de ver personagens já conhecidos, além de novas variantes que perseguem Waylon em sua busca por sobrevivência.

Outlast 2

Tanto sucesso não poderia deixar de ganhar uma continuação. A sequência foi oficialmente anunciada em 2015, 2 anos após o primeiro título. Em 2016, o jogo foi levado a público e, ainda que não tenha tido tanto êxito quanto o primeiro, foi muito longe de ser um fracasso, tendo ganhado uma nota 75 no Metacritic. O game traz de volta os elementos que ganharam o coração do público na primeira vez, como a câmara que precisa ser recarregada e permite a visão noturna, marca clássica dos dois títulos, de volta, além das perseguições constantes.

A história do segundo jogo traz um estilo um pouco diferente do primeiro Outlast. Dessa vez o ambiente de hospital psiquiátrico dá lugar aos canions do Arizona. O protagonista da vez também tem relação com o mundo jornalístico, sendo o cameraman Blake Langermann, que acompanha sua esposa, a repórter Lynn. Ambos estão sobrevoando a região para começar uma reportagem investigativa sobre um assassinato misterioso que aconteceu nas proximidades, quando o helicóptero é derrubado e posteriormente, o piloto é encontrado morto. Langermann então se vê sozinho e em busca de sua esposa, quando descobre que os moradores da região na verdade são muito mais hostis do que o esperado.

A trama então se transforma em um terror tão assustador quanto o primeiro jogo. Dessa vez os vilões fazem parte de uma seita religiosa chamada de Temple Gate (Portão do Templo, em português).  O grande vilão da história dessa vez não é nenhuma entidade como o Walrider, e sim o líder do culto, Sullivan Knoth. Apesar de parece distante do primeiro game, a história ainda mantém conexões. De acordo com vários arquivos encontrados durante o jogo, é possível perceber a participação da Murkoff Corporation na situação do Temple Gate, com a empresa muito provavelmente realizando experimentos com os moradores da região, o que teria levado ao delírio que o jogador vê durante Outlast 2.

 

The Outlast Trials

Lançado no dia 18 de maio desse ano, Outlast Trials é o novo jogo da franquia lançado pela Red Barrels Studio. Dessa vez, o estilo da gameplay é bem diferente do que a franquia havia apresentado até então, começando por uma adição que muda tudo: o foco desse novo game é o multplayer. Ainda assim, é possível jogar e se assustar sozinho. O jogo conta com diversos cenários, em que os jogadores precisam cumprir diferentes objetivos e ligar geradores no mapa, semelhante a Dead by Daylight.

Já quanto a história, o jogo se passa antes de qualquer outro evento dos títulos anteriores. A Murkoff Corporation, empresa que ocupa o papel de grande antagonista da saga, continua aparecendo aqui, mas em uma época muito diferente. Os experimentos em humanos que a corporação realiza aqui são ambientados na Guerra Fria, período que já havia sido mencionado como crucial para história da saga em arquivos localizados nos games anteriores. Os protagonistas aqui são personagens criados pelos próprios jogadores de formas customizada e precisam sobreviver a alguns testes da Murkoff para terem sua liberdade lhes dada como recompensa; ou, pelo menos, é isso que a empresa diz.