Pac-Man: confira 10 fatos sobre o personagem

Pac-Man: confira 10 fatos sobre o personagem

Pac-Man é uma das franquias mais lembrada do mundo dos games até os dias de hoje, mesmo após 43 anos desde sua criação. O game, lançado na década de 80, se tornou um marco não apenas para comunidade que gosta dos jogos, mas também de toda a cultura pop. É difícil encontrar alguém que nunca tenha ouvido falar do título ou a menos não saiba quem é o clássico personagem amarelo conhecido popularmente no Brasil como Come Come. O conceito não é difícil de entender, basta controlar a bolinha com uma boca enorme pelo labirinto em que ela se encontra e comer o máximo de bolinhas pela frente. Para adicionar um pouco de dificuldade, alguns fantasmas de cores diferentes perseguem o jogador, e caso ele termine encurralado antes de comer todas as bolinhas do mapa, é game over.

Mas afinal de contas, por que esse é um dos maiores sucessos de todos os tempos? O Pac-Man sem dúvidas é um dos maiores percursores da cultura gamer por todo o mundo, e sua criação é repleta de histórias, desde que foi idealizado no Japão, até ser lançado ao público. Com tanta popularidade sendo alcançada ao redor do mundo, é natural que as empresas tentem explorar ao máximo esse símbolo, criando não apenas novos jogos para o personagem, como também produtos de outras mídias. O Pac-Man já ganhou até mesmo um desenho próprio, com história e novos personagens coadjuvantes. Para aqueles que amam um dos maiores ícones da comunidade, ou quem simplesmente quer saber mais sobre, separamos as principais informações sobre esse jogo, desde o primeiro lançamento até os dias atuais.

 

A origem do Pac-Man

Pac-Man

O Pac-Man foi criado no Japão por Tōru Iwatani para a empresa Namco, um nome que não deve ser conhecido pelos gamers mais assíduos, já que a empresa existe até hoje, mas se fundiu com outra gigante do mercado, a Bandai, passando a se chamar Bandai Namco. O jogo original foi lançado em maio de 1980, e sua produção não começou muito antes disso, com o idealizador do projeto tendo tido a ideia no mesmo ano após um jantar com os amigos. Na época, a principal intenção de Iwatani era de criar um novo game que fosse diferente dos que já estavam rodando no mercado mundial na época, conhecidos como “Shoot 'em ups”.  Após comer uma pizza, ele percebeu que a fatia deixada na mesa se assemelhava a uma boca aberta prestes a comer algo e então toda sua criação começou a se desenvolver em sua mente.

 

Um pouco mais sobre o criador do Pac-Man

Pac-Man Tōru Iwatani

Tōru Iwatani se tornou um nome extremamente conhecido na indústria de jogos japonesa após a criação do Pac-Man. O personagem não foi a primeira criação. Aos 25 anos de idade, ele havia criado o jogo “Gee Bee”, que era basicamente uma versão digital de uma mesa de pinball lançado em 1978 e que não foi exatamente um sucesso. Sua principal frustração com o mercado dos games era o quão repetitivo os títulos eram, sempre sobre atirar nas coisas, principalmente em naves, uma verdadeira fórmula da época para conseguir lucrar. Após 2 anos, não esperavam que o Pac-Man se tornasse o sucesso que foi. O Come Come, no entanto, não foi o único título relevante de Iwatani, que também criou Pole Position, lançado em 1983, considerado até hoje um dos maiores jogos de corrida de todos os tempos.

 

Seu nome quase foi um palavrão

Uma das curiosidades mais conhecidas sobre o Pac-Man é que seu nome original não é esse. Como o personagem principal também foi inspirado por Paku, uma personagem popular no Japão conhecida justamente pelo seu apetite, o nome dado ao protagonista do jogo foi “Puck-Man”. Vale ressaltar que Paku-Paku é um termo japonês usado para a ação de abrir e fechar, tal qual o movimento feito pela bolinha amarela mais conhecida do mundo dos games. O principal motivo para que o personagem tenha sido rebatizado após sua chegada nos Estados Unidos, é que Puck-Man poderia ser muito facilmente confundido com o palavrão “fuck”, o que tornaria seu nome um tanto quanto obsceno, para dizer o mínimo. Após a mudança, o título começou a se tornar um sucesso no território americano.

 

A mecânia de “Power-Up”

Muitos não sabem, mas Pac-Man foi o primeiro jogo a apresentar a mecânica de Power-Up. Enquanto o Pac-Man atravessa o labirinto e foge dos fantasmas que o persegue, ele tem a possibilidade de conseguir alguns poderes que o deixam muito mais forte, e torna toda dinâmica do jogo diferente. Quando o protagonista consegue essas habilidades, o mapa do game fica com outra cor, assim como os fantasmas, que agora passam a fugir do jogador e podem ser derrotados, rendendo alguns pontos extras. Esse fator começou a ser muito utilizado em jogos que vieram posteriormente, como o Super Mario, com os itens que o tornam gigantes ou com outros poderes que o deixam mais fortes que seus inimigos. Essa ideia foi inspirada no desenho Popeye, um clássico da década de 30 em que o personagem ficava mais forte após comer espinafre.

 

A inteligência artificial como destaque

Nos dias de hoje, a inteligência artificial é um dos tópicos mais discutidos e, no mundo dos games, é um dos fatores que mais interferem na jogabilidade de um novo lançamento. O quanto os inimgios reagem à ação do jogador pode mudar toda a experiência, e com o Pac-Man, na década de 80, essa discussão começou a tomar forma. Os fantasmas do jogo, baseados no popular desenho do Gasparzinho, tinham comportamento próprio e cada um deles tinha quase uma personalidade em sua relação com o protagonista. Um dos inimigos perseguia o Pac-Man pelo mapa, outros dois tentavam prever seus movimentos para encurralar o jogador, e o quarto apenas circulava pelo labirinto. Muitos não sabem, mas eles ainda tem nomes. O vermelho é Blinky, o rosa é Pinky, o azul é Inky e o laraja é Clyde.

 

O recordista mundial de Pac-Man

Como a maior parte dos jogos arcades da década de 80 e 90, e até com os jogos online nos dias de hoje, competições eram famosas para decidir quem era o maior jogador do mundo. Com Pac-Man, não foi diferente, principalmente pela pontuação alcançada ser um dos maiores elementos do game. Atualmente, o recordista mundial de Pac-Man no mundo é Billy Mitchell, tendo essa pontuação conquistada em uma competição entre Estados Unidos e Canadá, em que o jogador fez 3.333.360 pontos e chegou no nível final, a tela 256, sem perder nenhuma vida. O resultado foi homologado pela Twin Galaxies, organização que registra os recordes em diferentes video games pelo mundo. No entanto, essa pontuação posteriomente foi considerada inválida, pois Mitchell teria usado um emulador, e não um arcade oficial para conquistá-la.

 

As continuações do jogo

Com tanto sucesso, é natural que Pac-Man tenha ganhado continuações durante os anos. 1 ano depois do grande sucesso mundial, a General Computer Corporation, em parceria com a Midway, lançou a primeira continuação, chamada de Ms. Pac-Man. O jogo não era tão diferente do primeiro, tendo inclusive a mesma proposta em que o jogador corre por um labirinto em que fantasmas o perseguem e deve conquistar a maior quantidade de pontos possíveis por tela. A grande diferença do primeiro game é que a protagonista aqui era uma versão feminina do Pac-Man, diferenciada pelo batom vermelho em sua boca e o laço, também vermelho, em sua cabeça. Após isso, mais de 70 jogos da franquia foram lançados ao longo dos anos, com poucos desses produtos tendo um destaque próximo ao primeiro.

Ms. Pac-Man

Em 1994, 14 anos após o título original, a Namco voltou a produzir e publicar o jogo e lançou Pac-Man 2: The New Adventures. O título foi lançado para Super Nintendo e Sega Mega Drive. Embora seja uma continuação do primeiro, da década de 80, e produzido pela desenvolvedora original, o jogo se distância bastante do conceito apresentado pela saga até então, deixando de lado o labirinto pelo qual o jogador deveria percorrer e explorando mais a tecnologia diferente da época e se baseando no desenho animado do personagem. Dessa vez, o jogador também não controla diretamente o Pac-Man, mas direciona para onde ele deve ir e utiliza de um estilingue para derrotar os inimigos que aparecem pelo cenário. Alguns dos personagens clássicos da franquia continuam marcando presença, como os 4 fantasmas clássicos.

 

O desenho do Pac-Man

Pac-Man ANimaçãpoq

Em 1982, apenas 2 anos após o sucesso do jogo original, o Pac-Man ganhou seu próprio desenho animado. No Brasil, a animação foi intitulada de “Pac-Man: O Comilão”, chegando apenas em 1987 através da Rede Bandeirantes. A série acompanhava a história não apenas do protagonista clássico, mas também de toda sua família, como a Ms. Pac-Man e seu filho, Pac-Baby, além de seus animais de estimação. Os vilões da história eram, na maior parte do tempo, os fantasmas Clyde, Blinky, Inky, Pinky e uma nova adição em relação ao jogo, Sue, que eram comandados por um inimigo maior, Mezmeron, que quer descobrir a floresta secreta de pílulas da força. O desenho foi criado por dois nomes muito famosos do mercado, William Hanna e Joseph Barbera, e contou com 2 temporadas, tendo ao todo, 42 episódios e um especial de Natal.

A série animada da década de 80 não foi a única produção do Pac-Man na televisão. Chegando mais próximo dos dias atuais, a Disney lançou Pac-Man e as Aventuras Fantasmagóricas, outro desenho de fantasia com elementos de comédia que colocava o personagem amarelo mais famoso do mundo dos games em novas histórias. A narrativa dessa nova animação acompanha os residentes do Mundo-Pac. O principal herói, Pac-Man, luta contra fantasmas do Mundo Inferior, que constantemente atacam seu lar. Ele não luta contra os inimigos sozinho, contando com a ajuda de seus amigos Cilindra e Espiral. O desenho tem 3 temporadas, que contam com, ao todo, 52 episódios de aproximadamente 22 minutos de duração cada.

 

No mundo do cinema

O mundo do cinema é grande demais para não ser explorado por um dos principais nomes do mundo dos games. Embora até pouco tempo atrás adaptações de jogos tenham sido conhecidas por não ter um resultado tão bom de público e crítica, o Pac-Man já teve suas participações em algumas grandes produções. A principal aparição do personagem em Hollywood foi no filme Pixels, de 2015, estrelado por Adam Sandler. No longa, as principais criaturas dos jogos de video game da década de 80 ganham vida, e claro, o Pac-Man não poderia deixar de aparecer em uma versão gigante comendo toda a cidade. Denis Akiyama interpreta o criador do jogo, Tōru Iwatani. Vale lembrar que, de acordo com o site internacional The Hollywood Reporter, um filme próprio do personagem estaria sido desenvolvido.

Pac-Man no Google

Pac-Man Doodle

Para comemorar algumas datas especiais, o Google, principal site de buscas do mundo, criou os doodles. Na página inicial, em que os internautas fazem suas pesquisas é possível encontrar algumas atrações interativas por tempo limitado. Em 2010, quando o Pac-Man completou seu 30° aniversário, ele não poderia deixar de ganhar uma homenagem especial. O doodle da vez apresentou um labirinto no formato do nome da marca, em que as pessoas poderiam voltar aos tempos do arcade e jogar com a bolinha amarela. A ideia foi desenvolvida por Marcin Wichary, designer e desenvolvedor sênior de UX da empresa. Essa foi a primeira versão jogável de um doodle até então e está disponível até os dias de hoje.