Street Fighter: os 5 melhores jogos da série

os melhores street fighter da serie

Street Fighter marcou mais de uma geração. A franquia é um dos maiores sucessos do mundo dos games e tem títulos sendo lançados a mais de 35 anos, agradando milhares de fãs pelo mundo de diferentes idades e que amam jogar com os vários personagens disponíveis e desafiar os amigos em algumas lutas casuais. O primeiro jogo da série foi lançado em agosto de 1987 e podia ser jogado na maior parte dos fliperamas, que disponibilizavam as máquinas arcade do game desenvolvido pela Capcom, que posteriormente também lançou o primeiro Street Fighter para outras plataformas, como PC e até mesmo android. A importância da saga vai além de ser um simples sucesso comercial, vendendo milhares de cópias com seus mais de 10 títulos, mas também por conta de sua influência cultural, tendo revolucionado o gênero de luta.

Com diversos lançamentos, não apenas da cronologia principal, mas vários spin-offs, Street Fighter ganhou até um filme live action com grandes estrelas do cinema de ação, como Jean-Claude Van Damme no papel de Guile, o lutador americano escolhido para protagonizar o longa, e Raúl Juliá interpretando o principal vilão da franquia, M. Bison. Com tanto sucesso ao longo dos anos, a Capcom aproveitou cada tecnologia de sua época para aprimorar suas mecânicas e inserir novos campeões para os jogadores escolherem, além de continuar a história principal da franquia. Atualmente, isso não poderia ser diferente e, em junho de 2023, a desenvolvedora lançou Street Fighter 6, que está tendo um bom número de vendas, além de ser um dos títulos mais bem avaliados pela crítica especializada.

Com tantos lançamentos ao longo dos anos, é natural que os jogadores se perguntem qual o melhor título da saga Street Fighter. Cada um dos jogos apresenta novos competidores, com nacionalidades, estilos de luta e personalidades diferentes. O último game da série, por exemplo, apresentou alguns dos personagens mais interessantes da franquia até então, como a italiana Marisa e o dançarino Jamie. No entanto, ainda que seja um jogo de luta, Street Fighter também tem uma mitologia riquíssima, com diversas histórias interessantes e vilões muitas vezes carismáticos, como o próprio M. Bison, que tem um dos visuais mais marcantes dos jogos, ou a sádica Juri. Para os fãs que gostariam de um ranking dos melhores games da franquia, preparamos uma lista de acordo com nossa opinião.

 

Confira os 5 melhores jogos da série Street FIghter:

 

Street Fighter

Street Fighter 1

Para começar a lista, qual título melhor do que o que iniciou tudo? Street Fighter foi lançado em agosto de 1987, principalmente para máquinas de arcade, como a maior parte dos jogos da época. Ao contrário do que pode parecer levando em consideração o que a franquia é hoje, o primeiro jogo não foi um sucesso imediato, tendo conquistado mais fãs após o lançamento de alguma sequências que fizeram com que o título ganhasse mais destaque por ter originado a saga. As principais críticas positivas ao jogo na época foram, principalmente, por sua inovação, trazendo novas mecânicas a aproveitando os 6 botões que sua máquina oferecia, além de oferecer uma nova diversão, seja para jogar sozinho ou com amigos. Ainda assim, nem tudo eram flores, já que algumas reviews disseram que Street Fighter poderia perder a graça rápido.

A história do jogo explora as aventuras de Ryu, um lutador de artes marciais japonês que luta um torneio chamado Street Fighter. Além do protagonista, o jogo também apresenta outro lutador muito conhecido dos fãs, Ken Masters. Originalmente japonês, e posteriormente americano, o personagem é conhecido por ser o grande rival de Ryu, tendo sido treinado pelo mesmo mestre. Embora ambos tenham uma rivalidade entre si, eles não são inimigos, e Ken não é um vilão da franquia, sendo, no primeiro jogo, praticamente uma versão espelhada do personagem principal com o qual outros jogadores poderiam jogar para disputar lutas entre si. Além dos dois, o primeiro Street Fighter também apresentava outros 8 lutadores que serão adversários durante a trama, controlados pela máquina: Retsu, Geki, Joe, Mike, Lee, Gen, Birdie e Eagle.

 

Street Fighter II: The World Warrior

Street Fighter 2

Lançado em 1991, três anos após o game original, esse é o segundo jogo da franquia e um dos principais responsáveis pelo sucesso que a saga faz até os dias de hoje. Street Fighter 2 faz mais do que aprimorar as mecânicas do primeiro título, mas também adicionando novos golpes, movimentos e principalmente, mais personagens jogáveis e inimigos com quem Ryu, que voltava a ser o protagonista, combatia. No Japão, país de origem do título, ele foi considerado um sucesso e muito bem elogiado pelos críticos. No resto do mundo, onde o primeiro jogo não tinha feito tanto sucesso, a continuação cumpriu bem seu papel e também fez o novo lançamento da Capcom ser um sucesso comercial, com diversos arcades espalhados pelo mundo e boa parte da crítica especializada tecendo elogios sobre como o joga era inovador para o gênero.

A história de Street Fighter 2 é muito mais aprofundada que a do primeiro título. Na aventura, M. Bison, líder da organização Shandaloo, monta o torneio que dá nome ao game, é grande plano para dominar o planeta, já que a mente dos competidores começa a ser dominada e eles são forçados a trabalhar para o grupo. O jogador pode escolher entre muitos outros personagens, a maior parte sendo lutadores inéditos, como Guile, que seria protagonista do filme no futuro, ou o brasileiro Blanka. Ao todo, são 8 campeões jogáveis, além de 4 controlados por computador. Vale lembrar que alguns personagens tiveram que ter seus nomes trocados, como Balrog, que na versão japonesa é o M. Bison, com o “M” significando Mike, em homenagem a Mike Tyson. Para evitar problemas legais, a Capcom trocou os dois na versão americana.

 

Street Fighter Alpha 3

Street Fighter Alpha 3

Esse jogo, lançado em 1998, conquistou boa parte dos fãs, principalmente por seu estilo único, com a maior parte dos visuais sendo marcantes e lembrados até os dias de hoje. Toda a estética do game tem um t0m bem cartunesco, que faz com que ele se destaque dos demais quando a questão é estética, ainda que alguns jogadores possam ter estranhado a escolha criativa na época. Por sua vez, a gameplay não deixa a desejar, na verdade, passa longe disso. Steet Fighter Alpha 3 foi muito elogiado por sua jogabilidade fluída e divertida, que também tinha uma variedade própria, com o jogador podendo escolher entre os sistemas A-ism, X-ism e V-ism. O jogo foi lançado para Android, PSP, Arcade, Game Boy Advance, Dreamcast, PlayStation 1, entre outros aparelhos. No Metacritic, ele obteve uma nota média de 93 entre as reviews publicadas.

A história do jogo segue a linha dos seus antecessores na sub-série na franquia Alpha, que serve como prequel para o que foi apresentado em Street Fighter 3. Sua narrativa é uma de suas principais vantagens, sendo mais completa e aprofundada em relação a outras apresentadas pela franquia. Um dos principais destaques em relação a outros títulos da saga é sua quantidade de personagens, reunindo os lutadores não apenas de Alpha 1 e 2, mas também de Super Street Fighter 2. Ao todo, o game conta com mais de 30 campeões para serem escolhidos, com a versão de PSP sendo ainda maior, com mais de 40. Vale lembrar que ele pode ser jogado até os dias de hoje nos consoles da geração anterior, como PlayStation 4 e Xbox One, além do Nintento Switch e PC, já que foi incluso Street Fighter 30th Anniversary Collection.

 

Street Fighter 6 

Street Fighter 6

Outro título que, apesar de pouco tempo desde seu lançamento, já figura entre as melhores adições a franquia, é Street Fighter 6. O jogo, lançado a menos de 2 meses, foi um sucesso entre a crítica especializada e entre os fãs da saga, com potencial para se tornar até mesmo o melhor entre todos os lançados após algumas atualizações que com certeza virão. Entre os principais motivos que fazem com que o jogo se torne um dos melhores é como ele aproveita a tecnologia atual para criar mecâncias que favorecem um maior leque de golpes dos lutadores, executando movimentos complexos, mas sem que o título se torne muito difícil para jogadores iniciantes ou casuais. Outro destaque de Street Fighter 6 é seu modo online, considerado um dos melhores da franquia. No Metacritic, o jogo tem uma nota média de 92.

Outra característica muito marcante desse título é o visual dos personagens. Embora seja o sexto da saga na linha principal, o jogo é uma continuação direta de Street Fighter 3, com o 4 e o 5 sendo prequels da história. Como o jogo tem um salto temporal considerável, a maior parte dos designs foram remodelados para encaixar com a proposta, com grandes personagens, como o próprio Ryu e seu rival, Ken, tendo aparências mais maduras e diferentes das apresentadas até então. A história conta com um novo protagonista, Luke. Embora não seja um nome novo na franquia, tendo sido apresentado em Street Fighter V, ele aparece como personagem principal da saga pela primeira vez, ainda que Ryu continue tendo uma participação fundamental. Jamie, um lutador inédito, ocupa a função de Ken para nova geração.

 

Street Fighter 4 

Street Fighter 4

Lançado em 2008, Street Fighter 4 marcou diversas pessoas como um dos melhores games de luta já feitos. O título foi lançado primeiro para arcade, como os antigos títulos da saga e como é de costume nos jogos da franquia até os dias de hoje, e um ano depois, foi lançado para consoles como PlayStation 3 e Xbox 360, além de também ter ganho uma versão para PC posteriormente. O principal trunfo desse jogo, além de ter sido muito bem avaliado na época, é o fato de ter resgatado o gênero como um todo. Na primeira década do século XXI os jogos de luta estavam em baixa, e foi o quarto game da linha principal de ST que fez com que essa situação mudasse para melhr. As críticas elogiaram seu estilo visual, com uma alta qualidade gráfica, além da sua gameplay com bom fator replay. No Metacritic, a nota média das avaliações é de 94.

A história não era uma continuação direta do terceiro jogo, que havia sido lançado a 11 anos, mas uma prequel, se passando após os eventos de Street Fighter 2. Dessa vez, o vilão é Seth, líder de uma corporação chamada S.I.N., que decide abrir uma nova edição do torneio com o objetivo de juntar informações e concluir o projeto BLECE. A história desse título é uma das mais aprofundadas da franquia, contando com um filme animado de mais de 1 hora de duração, desenvolvido em parceria com a Dimps, que pode ser assistido através do próprio jogo e contava novos detalhes da narrativa. Além disso, a adição de novos personagens não poderia faltar após tanto tempo sem um jogo da franquia principal. Street Fighter 2 adiciona 6 novos personagens. Ao todo, o jogo conta com 25 lutadores disponíveis para jogar ou lutar contra.