Início » Notícias » O que é metaverso?

O que é metaverso?

Você com certeza, já ouviu o termo “metaverso” alguma vez, principalmente depois que, em outubro do ano passado, Mark Zuckerberg anunciou que o Facebook mudaria de nome para Meta e focaria no desenvolvimento do metaverso. Desde então, houve um boom no segmento e se tornou quase impossível estar envolvido com redes sociais e não conhecer o termo. Mas afinal, o que é metaverso? Que tecnologia é essa que está tomando a indústria? Vem comigo que eu te explico.

Em 2021, Zuckerberg chocou o mundo ao anunciar que Facebook se chamaria Meta

O que é Metaverso?

Resumindo bastante, o metaverso é uma realidade virtual interativa com foco na conexão social, uma rede de mundos virtuais. É como um grande The Sims ou Habbo, só que com avatares mais realistas e que visa se tornar uma extensão da nossa vida atual.

Segundo Charles Barros, criador do PK XD, em entrevista ao Techtudo, o metaverso nada mais é que um “universo online onde as pessoas podem se encontrar, socializar, resolver problemas, etc.”.

Em entrevista ao O Povo, Davi Rocha, professor de Publicidade e Propaganda da Universidade de Fortaleza ( Unifor) explicou que ” o metaverso consiste em qualquer espaço virtual que permite a criação e a exploração de conteúdos criados por outras pessoas só existentes dentro daquele espaço (…). É possível criar jogos e experiências ali dentro, de maneira interativa, e que existirão apenas naquele espaço, porém, de maneira persistente. Ou seja, você conecta e desconecta, mas ele continua dentro do meio digital”.

Apoiadores do metaverso acreditam que esse é o futuro da internet, e que, em breve, as fronteiras entre os físico o virtual ficarão cada vez menores. 

O termo surgiu no livro de ficção científica “Snow Crash” (1992), escrito por Neal Stephenson. No romance, os personagens utilizam avatares digitais para entrar em um universo online de forma a fugir de sua realidade horrível. “Meta” em inglês, singifica “transcendente” ou “mais abragente” e “verso” vem de universo. 

Como acessar o metaverso

Para ter uma melhor imersão do usuário, o metaverso utiliza realidade virtual e aumentada, que podem ser acessadas por meio de óculos ou manoplas conectadas a computadores e smartphones. Ah, o que eu vou falar agora vai parece coisa tirada de filme de ficção científica, mas não é: existem empresas que estão estudando possibilidades de permitir o acesso ao metaverso com um implante no cérebro.

De todo modo, também são considerados metaverso jogos como Fortnite e Roblox, que podem ser acessados através de telas comuns – como smartphones e PCs. Esses metaversos oferecem uma varidade de experiências, desde jogos a entretenimento ao vivo. Por exemplo, é comum acontecerem shows nessas plataformas, como os da cantora americana Ariana Grande e do rapper brasileiro Emicida, ou desfiles de grandes marcas de roupas, como Nike e Louis Vitton.

Precursores do metaverso?

Se engana quem pensa que Metaverso é um conceito novo. Na verdade, essa ideia já existe há bastante tempo, principalmente nos games. Essa ideia de expandir as interações para um espaço virtual não é novidade para nós, gamers. Bem antes do anuncio de Mark Zuckerberg, já existiam jogos como Second Life e Habbo, onde os usuários entram em um universo virtual e passam a viver em uma realidade paralela digital.

Criado em 1999 e lançado em 2003, Second Life é um jogo de simulação em 3D e tem o propósito de levar os jogadores para uma nova vida com economia própria e até relacionamentos amorosos virtuais.

Existe até um debate se Second Life pode ser chamado de jogo mesmo, uma vez que não há um objetivo a ser cumprido, apenas a criação de uma vida digital do jeito que sua critatividade permitir.

Second Life já levava as pessoas a um ambiente digital desde 2003

Há ainda Habbo, em que você criava um avatar e convivia com outras pessoas em um hotel.

E que tal ser um pinguim em Club Penguin?

Roblox, um exemplo sobre o que é metaverso

O Roblox permite que as pessoas explorem mundos que existem apenas no meio digital e oferece várias atividades. Muitas empresas estão migrando para lá para divulgar suas marcas. O Spotify, por exemplo, garantiu seu espaço dentro do metaverso do Roblox. A plataforma de streaming musical lançou uma ilha interativa que promete ser um “paraíso de som onde fãs e artistas de todo o mundo podem explorar a terra dos sons, quests e itens super especiais”.

Desde o ano passado, a Nike também tem um mundo lá dentro. O objetivo, segundo a marca, é permitir que os usuários se conectem, criem e compartilhem experiência. “A Nike criou este mundo sob medida com o pano de fundo de sua sede mundial e dentro do espaço 3D da Roblox, com base em seu objetivo de transformar o esporte e a diversão em um estilo de vida”, diz o comunicado da empresa. Podemos ver que o local está repleto de edifícios e campos inspirados no escritório central da empresa, além de ter arenas disponíveis para que os fãs possam jogar minijogos.

Mas esses dois são apenas exemplos, porque tem várias marcas lá dentro, utilizando o metaverso a favor de suas empresas, como a Ralph Lauren, Forever21, NASCAR, Vans e outras. Alice Delahunt, diretora digital e de conteúdo da Ralph Lauren, acredita que o metaverso do Roblox é uma excelente forma de se comunicar com um consumidor mais novo e jovem. “Economia virtual e plataformas no metaverso, como Roblox, estão surgindo como oportunidades únicas para a marca se conectar com um consumidor novo e mais jovem de várias novas maneiras – seja por meio de uma experiência de marca definida na plataforma ou por meio de uma coleção de produtos digitais que apresenta um fluxo de receita inexplorado para nós, estamos entusiasmados em continuar testando e aprendendo dentro do espaço”, disse ela em e-mail divulgado.

O Roblox também está se mudando para vida real, sabia? Algumas marcas começaram a trazer ativações da plataforma para a realidade, como a Nike, que recriou a Nikeland – seu mundo dentro do game – em sua loja principal em Nova York.

A Forever 21 também tem certos artigos de roupas que estão disponíveis tanto no Roblox como na vida real. Dessa forma, os jogadores podem combinar com seu avatar.

Só nos resta esperar para ver o que será do metaverso no futuro.

Compartilhe

Letícia Höfke

Letícia Höfke

Sou jornalista, escritora e completamente apaixonada por tudo que envolve o universo geek - principalmente, o Batman.

Veja também